As consequências emocionais da cirurgia plástica

12 de março de 2021 0 Por eduardo

Você pode se surpreender ao saber que fazer uma cirurgia para melhorar sua aparência pode ter consequências emocionais. Muitos pacientes em perspectiva de cirurgia plástica deixam de considerar os aspectos emocionais da cirurgia plástica.

Existem efeitos emocionais positivos, com certeza, mas a maioria das pessoas tende a esquecer as possíveis ramificações psicológicas de se submeter a uma grande cirurgia para melhorar a aparência. O fenômeno da depressão pós-operatória é real, mas seus efeitos podem ser minimizados se os pacientes estiverem preparados para essa possibilidade.

Fonte: Reprodução: Pinterest

Depressão Pós-Cirúrgica

A incidência de depressão pós-cirúrgica é muito maior do que a maioria das pessoas imagina e muitas vezes é encoberta pela conversa de incentivo “riscos e complicações da cirurgia” dada pela maioria dos cirurgiões aos pacientes. 

Vamos examinar alguns dos principais contribuintes para a depressão pós-cirúrgica, muitos dos quais são comuns a qualquer tipo de cirurgia:

Efeitos da anestesia geral

Você sabia que traços dos produtos químicos usados ​​para “colocá-lo sob” na anestesia geral podem permanecer nos tecidos do seu corpo, afetando você tanto física quanto emocionalmente, por até três semanas? Esses efeitos residuais podem incluir letargia e depressão, e até crises de choro ou desespero inexplicáveis. incidência desses efeitos parece aumentar proporcionalmente à idade do paciente.

Medicamentos para a dor

O controle da dor pós-cirúrgica geralmente requer pelo menos um breve período de tempo do paciente sob prescrição de analgésicos narcóticos. A maioria dos analgésicos narcóticos está em uma classe de medicamentos considerados depressores. Isso não significa necessariamente que eles o deixem deprimido.

Em termos leigos, significa apenas que eles tendem a desacelerar tudo, assim como o álcool, mas em uma escala maior. Assim como as pessoas têm reações emocionais diferentes ao ficarem intoxicadas depois de alguns drinques, também têm reações diferentes ao tomarem analgésicos. Às vezes, essas reações são semelhantes (e agravadas por) aquelas relacionadas aos efeitos residuais da anestesia geral, conforme listado no parágrafo acima.

Restrições físicas inerentes à recuperação

Vamos enfrentá-lo: quase ninguém gosta de ficar preso na cama, dependendo de outras pessoas para ajudar nas tarefas básicas, sendo forçado a abandonar nossas rotinas habituais e reservar um tempo para a cura. Sentimentos de inquietação, tédio, desamparo e até inutilidade são bastante comuns. Além disso, a falta de atividade física geralmente significa um pequeno suprimento de endorfinas, o que nunca é bom, no que diz respeito ao humor.

Machucado e espancado

Em suma, quando você parece e se sente péssimo fisicamente, é provável que também se sinta péssimo emocionalmente. Imagine ficar deitado na cama com dores, dopado com remédio que te dá um leve enjoo… Depois você vai até o espelho para dar uma espiada. 

Fonte: Reprodução: Pinterest

Etapas para combater a depressão pós-operatória

  • Certifique-se de ter um sistema de suporte forte instalado. Cônjuges, irmãos, pais, filhos adultos e amigos podem ser de uma ajuda inestimável para você em sua recuperação. Se um ente querido já fez qualquer tipo de cirurgia plástica antes, melhor ainda. Converse sobre suas ansiedades e sentimentos com eles. Pode ser muito reconfortante saber que você não está sozinho nisso.
  • Tem um plano. Configure sua “estação de recuperação” antes de ir para a cirurgia. No mínimo, você deve ter todas essas coisas ao seu alcance: livros e revistas, lanches saudáveis, uma jarra de água fria, um telefone, TV e controle remoto, chinelos quentes, algumas mudas de roupas confortáveis. Você também deve ser colocado muito perto de um banheiro.
  • Siga as instruções do seu cirurgião. Certifique-se de tomar todos os medicamentos exatamente como prescritos pelo seu médico e evite atividades extenuantes pelo tempo que ele aconselhar.
  • Dê um tempo a si mesmo. Não tente ser um super-herói. Este é o momento em que seus entes queridos devem cuidar de você, e não o contrário. Não volte ao trabalho antes de estar pronto. Se o seu cirurgião disser que você pode voltar em dois dias, tire quatro dias de folga.
  • Seja paciente com o processo de cura. Não faça julgamentos sobre o resultado enquanto você ainda estiver inchado, machucado e costurado.
  • Coma o melhor possívelNos primeiros dois dias, você provavelmente não terá muito apetite. Quando você se sentir pronto para comer, faça um favor a si mesmo e coma os alimentos mais frescos e nutritivos que puder encontrar para ajudar seu corpo a curar-se. (Isso não apenas acelerará o processo de cura, mas também fará um grande bem para o seu estado mental e emocional.) Além disso, beba bastante água e descanse bastante.
  • Evite o álcool por pelo menos três semanas. Verifique com seu cirurgião as recomendações específicas.
  • Em caso de dúvida, chame seu cirurgião. Seu cirurgião é treinado para lidar não apenas com as complicações físicas da cirurgia, mas também com os efeitos emocionais posteriores. Ele ou ela entende o que você está passando e pode ajudar a explicar o que está acontecendo. Seu cirurgião também pode decidir mudar sua medicação se ele acreditar que sua prescrição atual está contribuindo para quaisquer problemas emocionais adversos que você esteja enfrentando. Além disso, se necessário, ele pode encaminhá-lo a um profissional de saúde mental qualificado para lidar com depressão pós-cirúrgica.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cirurgia_pl%C3%A1stica