Acumulador de chumbo

Um acumulador é idealizado por 2 eletrodos, envoltos por um eletrólito. No hora da trabalho, sofrem reações de oxirredução, com a apreensão e a liberação de elétrons e a mudança de trabalho na eletrólise. No hora da descarga, no qual a corrente é criada incessantemente, os eletrodos voltam ao seu estado principiante. Frequentemente, um acumulador é integrado por diversos pares de eletrodos montados dentro de uma balseiro de plástico.


Um dos diversos tipos de acumuladores é o acumulador de chumbo. Os acumuladores de chumbo são as baterias, aquelas que nós utilizamos nos automóveis e que fornecem força elétrica para o propulsor ter êxito adequadamente.

Saiba Mais: Recondicionando Bateria de Chumbo


Histórico e desempenho


O acumulador de chumbo foi achado pelo engenheiro francês Gastón Planté, em 1859. O engenheiro construiu o primeiro aparelho, usando placas de chumbo (Pb) e de barita de chumbo (Pb “22”), imersas numa saída aquosa efeito da diluição de ácido sulfúrico.

O eletrodo de peróxido de chumbo é idealizado pela carteira deste barita moldada em uma grade de chumbo, com o intuito de se reintegrar muito esponjosa, para que possa reforçar a setor em contato com a saída. O eletrodo vão de chumbo similarmente é esponjoso pelo mesmo razão.


A vigor eletromotriz dos pares de eletrodos tem um valor aproximado de 2 Cousa, a sua personalidade mássica é da ordem de 30 Uau /kg e a força mássica é de 40Wh/Kg. Nos dias atuais, as baterias que utilizamos são bastante mais modernas, fabricadas para durarem mais. Para uma maior durabilidade, os eletrodos são feitos de chumbo e misturados em antimônio.



Conceitos essenciais dos acumuladores de chumbo
Há alguns conceitos referentes aos acumuladores de chumbo que precisam ser expostos para uma maior percepção do assunto. A personalidade do acumulador é o coeficiente mais fundamental deste aparelho, uma vez que diz respeito à trabalho elétrica completo fornecida até se descarregar; já a descarga do acumulador de chumbo é a metamorfose da força química em força elétrica.


Há também 2 conceitos essenciais: a trabalho do acumulador e o capacidade deste aparelho. No momento em que um acumulador é relacionado a um genitor de 6 volts ( em média ), cujos polos sejam crédulo com crédulo e vão com vão, há uma passagem de corrente pelo acumulador que é oposta ao intuito da corrente.

Os acumuladores evidencia uma média de capacidade de 80%, que é concreto pela correlação entre a força fornecida na descarga e a força recebida na trabalho.

FONTE: https://www.r7.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *